Ponto do conto

Ponto do conto

O salto mortal

por

Estou longe. Não tenho, não quero ter mais nada a ver com aquilo. Com aqueles. Estou só. Quero estar só. Eu sei quando a coisa saiu dos trilhos. Faz tempo. Tanto tempo que só posso culpar a mim mesma pelo que aconteceu, pelo que não aconteceu e, a partir de agora, pelo que irá acontecer. […]

Ponto do conto

Três contos de Domingos Pellegrini

por

Avaliador de tempestades Cheguei à cidadezinha e saí do hotel para ver o poente, bebendo um vinho descansado depois da viagem cansativa. Anotei alguma coisa, o garçom ficou olhando. Anotei mais, ele não aguentou, veio perguntar: _ O senhor é jornalista? Resolvi inventar: _ Sou avaliador de tempestades. Ele passou pano na mesa, coçou a […]

Ponto do conto

O homem comum

por

O pai era um homem comum. Essa é a frase com que podemos começar o relatório. Que um pai seja um homem comum quer dizer que ele está no seu direito de ser o mais simples dos cidadãos, um sujeito qualquer, vítima das vicissitudes da vida diária, condenado ao trabalho ou ao desemprego, às contas […]

Ponto do conto

A maior igaçaba do Brasil

por

Cento e sessenta as aldeias incendiadas, Mil casas arruinadas pela chama devoradora, Assolados os campos, com suas riquezas; Passado tudo ao fio da espada José de Anchieta, De Gestis Mendi de Saa Pode ligar seu gravadorzinho, moça. Você não é a primeira jornalista que vem conversar comigo sobre a história de nossa cidade. Parece que […]

Ponto do conto

Virtuais

por

Cada cidade no planeta tem sua coleção particular e personalizada de nuvens. Então a primeira coisa que Efraim gosta de fazer, ao descer de um avião apertado, é admirar as nuvens sobre o aeroporto. Se estiverem crescendo e rosnando, Efraim sabe que não é bem-vindo e o melhor a fazer é partir assim que possível. […]

Ponto do conto

Rosa de Luxemburgo dos trêfegos trópicos – Parte 2

por

Ela? Apareceu três anos depois – mais velha, mais experiente, reassumindo a quase-Rosa de Luxemburgo primeva. A pele já não estava mais tão luzidia; semblante noctâmbulo, seios já não tanto túrgidos… E a língua? Seria a mesma? Não havia perdido o olhar da altiveza – pensasse em se matar um dia, também seria grandiosa feito […]

Ponto do conto

Rosa de luxemburgo dos trêfegos trópicos – Parte 1

por

Ainda em casa, em seu eremitério de livre escolha. Havia ligado para parceiro-às-vezes-trimestral-às-vezes-semestral desfazendo a farsa, dizendo que não havia viajado, confessando que ficara aquele tempo todo refletindo sobre a vida, a própria vida, e que continuaria assim sem saber exatamente mais quanto tempo. Ele? Ouvindo voz dela e lembrando ao mesmo tempo de sua […]