Novos contistas

Novos contistas

O pânico e a cegueira

por

Ao redor dela tudo era escuro, absolutamente preto assim como sua roupa… Ela caminha um pouco ofegante, escuta apenas sua respiração e o próprio salto tocando firmemente o chão. No meio do vazio, senta-se em uma cadeira: Boa tarde… Sara, sem ‘h’, mudei de nome quando fiz 18, justamente porque era muito chato ter de […]

Conto

O Retorno

por

Todos estavam à espera de um sinal diante do morto. Ele continuava imóvel, dentro do caixão branco, sem flores, apenas […]

Novos contistas

A eternidade e seu epílogo

por

Fazia um frio sutil na sala de espetáculo. Um frio que, entre os espaços da música, era sentido como um […]

Novos contistas

EL VATE

por

Já bem moço descobriu a vocação, que depois virou ardência, alma, fé… Ainda não profissão, mas isso por mero impedimento […]

Novos contistas

O que faz um farol

por

Saindo com o carro, já penso no farol. Estou sozinha, espero que não esteja fechado. O cruzamento ao lado do […]

Novos contistas

Todos estão neste

por

“Desculpa. Não tenho nada.” Disse isso e forçou um sorriso amarelo. Seus olhos percorreram todas as minúcias daquele rosto na velocidade de uma troca de cor do semáforo, e ela podia jurar que nunca o vira antes. Na luz ofuscante do meio-dia bem no meio de um dia qualquer, ela desviou o olhar, dobrou a […]

Novos contistas

Caronte

por

“Mas a vida de todo indivíduo não poderia ser uma obra de arte?” Michel Foucault A curva à direita era apenas mais uma dentre tantas no seu trajeto matutino que se estenderia até o cair da tarde, ainda assim havia algo nela que o irritava profundamente além das demais. Era aquela curva, aquela maldita, com […]

Novos contistas

Felícia

por

_ Foi uma mulher. O inspetor olha pra mim com repulsa. Nessa altura ele deve me achar um maníaco ou algo do tipo, mas estou de saco cheio daquilo tudo pra me importar com o que ele pensa. _ Não um homem. Uma mulher. _ reforço. _ Do que você tá falando, Ricardo?! _ Você […]

Novos contistas

Lobos

por

O vermelho se arrebenta contra as paredes do quarto. Os desenhos chapiscados me lembram aqueles testes espelhados de borrões de tinta, que o maxi-médico psiquiatra me apresentou na primeira vez em que estive em seu consultório. Daqui do chão, vejo um dragão sorrindo, o apito de um deus, um lábio superior ao relento, uma cabeça […]