Conto

Conto

O pânico e a cegueira

por

Ao redor dela tudo era escuro, absolutamente preto assim como sua roupa… Ela caminha um pouco ofegante, escuta apenas sua respiração e o próprio salto tocando firmemente o chão. No meio do vazio, senta-se em uma cadeira: Boa tarde… Sara, sem ‘h’, mudei de nome quando fiz 18, justamente porque era muito chato ter de […]

Ponto do conto

Seja o que Deus quiser*

por

O dia começa com muito sol e uma preta de lenço vermelho na cabeça sentada no degrau do portão de […]

Novos contistas

A eternidade e seu epílogo

por

Fazia um frio sutil na sala de espetáculo. Um frio que, entre os espaços da música, era sentido como um […]

Ponto do conto

Cidades e noites

por

No Porto, a uns 30 metros de altura, dependurados na ponte D. Luís à espera do salto no Rio Douro, […]

Ponto do conto

Marita, em linha reta

por

Chega o momento: a grande porta é aberta por dois homens com bigodes parecidos entre si. Arrastada no assoalho, permite […]

Novos contistas

EL VATE

por

Já bem moço descobriu a vocação, que depois virou ardência, alma, fé… Ainda não profissão, mas isso por mero impedimento cronológico. “Quem almeja e planeja recebe a vida numa prateada bandeja”, sustentava Pedro, na máxima que sustentava sua existência. E ele, com atrevimento incomum para os meninos de sua idade, planejou um roteiro de sucesso […]

Ponto do conto

Um homem célebre de machado de assis

por

Para abrir este espaço da revista ponto destinado À literatura escolhemos Machado de Assis (1839 – 1908), um dos maiores contistas da literatura brasileira de todos os tempos, fundador e patrono da cadeira n.º 01 da Academia Brasileira de Letras. Em contraponto à coluna Ao pé da letra, do também acadêmico Arnaldo Niskier, optamos por […]

Ponto do conto

Ali

por

Era sábado e eles haviam acordado cedo. Uma expectativa silenciosa os movia, o encontro com a família há duzentos quilômetros da cidade onde residiam, algumas horas de viagem, cortando canaviais, montanhas, túneis, e, de repente, ao fim de uma vereda, Olha, olha lá, o sítio! O homem, talvez porque era à casa de seu irmão […]

Ponto do conto

Uma tarde em Havana

por

PARA M.R. Cuba em agosto arde e para proteger minha pele muito clara, que exposta ao tempo ganha uma coloração avermelhada, me lambuzo de protetor solar e me enfio numa camiseta de malha branca, mangas compridas. Havia desembarcado em Havana na sexta-feira à noite e no sábado de manhã atravessei o amplo saguão do Hotel […]