Ao pé da letra #9

Ledo engano

“À entrada de uma empresa está escrito: seja bem vindo!”

Isso não pode ser verdade. Ninguém é “bem vindo” e sim bem-vindo, porque o advérbio bem deve ser separado do segundo elemento por hífen, na maioria das palavras.

Período correto: À entrada de uma empresa está escrito: seja bem-vindo!

Bom sentimento

“O bem-querer a todos é próprio daqueles que cultivam sentimentos puros.”

Não é assim, não! Este termo é uma exceção à regra anterior explicada. Escreve-se: benquerer.

Outras exceções: benfazejo, benfeito, benfeitor, benquerença e outras que lhes sejam afins.

Período correto: O benquerer a todos é próprio daqueles que cultivam sentimentos puros.

Paixão por cinema

“O senhor sente saudade dos filmes de bangue  bangue.”

Mentira! Se a saudade fosse verdadeira escreveria: bangue-bangue, com hífen, pois palavras repetidas devem ser separadas por hífen, como sempre o foram.

Frase correta: O senhor sente saudade dos filmes de bangue-bangue.

Obra indesejada

“A dona de casa sofre com o barulho de bate estacas do prédio vizinho.”

Escrito desse jeito (“bate estacas”), garanto que o barulho fica insuportável. Os compostos de verbo + substantivo exigem o uso do hífen: bate-estacas.

Frase correta: A dona de casa sofre com o barulho de bate-estacas do prédio vizinho.

Vale a pena lembrar

O atual acordo ortográfico determina que os nomes dos dias da semana e dos meses do ano devem ser grafados com letra minúscula, a não ser que iniciem uma frase.

Já as datas cívicas devem ser registradas com letra maiúscula.

Exemplos: O dia 1o de janeiro de 2016 cairá numa sexta-feira.

O Sete de Setembro representa muito para os brasileiros.

Tudo certo

“Hei de vencer é uma máxima que deveria ser seguida”.

Duplamente correta: a ideia e a ortografia. Não se deve usar hífen nas locuções, sejam elas adjetivas, substantivas, verbais (hei de vencer), pronominais, adverbiais, prepositivas, interjetivas ou conjuntivas.

Exceções, por uma questão de tradição: cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, água-de-colônia, ao deus-dará, entre outras, têm hífen.

Mudança

“O rapaz se julga realizado porque é Bacharel.”

Tudo bem, mas não aprendeu a nova regra: as titulações devem ser escritas com letra inicial minúscula, logo o certo, agora, é bacharel.

Período correto: O rapaz  se julga realizado porque é bacharel.

Final de campeonato

“Qualquer time que chegue à semi-final já terá garantido o segundo lugar.”

É verdade, mas escrevendo “semi-final”, certamente não será campeão. Sempre que um prefixo terminar em vogal (i) e a segunda palavra começar com uma consoante (f) não se usará o hífen: semifinal.

Período correto: Qualquer time que chegue à semifinal já terá garantido o segundo lugar.

Pressão alta

“O senhor tomou o remédio antihipertensivo, mas não melhorou.”

Um remédio “antihipertensivo” jamais fará efeito. Quando o segundo elemento de uma palavra com prefixo for iniciado com letra h, sempre  se usa o hífen: anti-hipertensivo.

Período correto: O senhor tomou o remédio anti-hipertensivo, mas não melhorou.

Causa perdida

“O advogado usou um contra argumento, mas o juiz  não o acatou.”

Nem poderia, porque quando o prefixo terminar com a mesma vogal que inicia o segundo elemento, o hífen se torna obrigatório: contra-argumento.

Período correto: O advogado usou um contra-argumento, mas o juiz não o acatou.

Sogra, não!

“O rapaz avisou à noiva que não quer co-ocupar  a mesma casa com a mãe dela.”

Briga na certa! O prefixo co é usado sempre  junto, sem hífen. A exceção é com o h, quando este vem na segunda palavra, como co-herdeiro. Logo, escreve-se: coocupar

Período correto: O rapaz avisou à noiva que não quer coocupar a mesma casa com a mãe dela.

Fracasso político

“O prefeito de uma cidade do interior não conseguiu se re-eleger.”

Garanto que o verbo “re-eleger” escrito dessa maneira contribuiu para a derrota. As palavras com o prefixo re devem  ser grafadas  sem hífen: reeleger. É uma exceção à regra.

Período correto: O prefeito de uma cidade do interior não conseguiu se reeleger.

Sensibilidade

“Os adolescentes, normalmente, são ultra- sensíveis.”

Quaisquer pessoas ultra-sensíveis sofrem muito. Quando o prefixo terminar em vogal e a segunda palavra começar com s, este s será duplicado, não admitindo o uso do hífen: ultrassensíveis.

Frase correta: Os adolescentes, normalmente, são ultrassensíveis.

Problema sanado

“A moça teve falência da suprarrenal, mas depois do tratamento ficou boa.”

Que bom! Certamente a escrita correta da palavra suprarrenal ajudou à cura da jovem. Porque quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento inicia com a letra r, dobra-se esse r.

Racismo

“ As diferenças interraciais ainda não foram resolvidas.”

E ainda demorarão muito para serem. É preciso atenção: se o prefixo for inter e a segunda palavra começar por r, usa-se o hífen – inter-raciais.

Frase correta: As diferenças inter-raciais ainda não foram resolvidas.

Excesso de velocidade

“Correr muito em uma auto-estrada pode causar sérios acidentes.”

Escrevendo “auto-estrada”, o acidente será ainda maior. Se o prefixo termina em vogal (o) e o segundo elemento começa com uma vogal diferente (e), não se admite o hífen: autoestrada.

Período correto: Correr muito em uma autoestrada pode causar sérios acidentes.

Observação importante

Quando os prefixos ab, ad, ob, sob e sub são seguidos de palavras iniciadas por r deve-se usar o hífen.

Exemplos: ab-rogação / ad-rogado / ob-rogar / sob-roda / sub-rogativo.

Vizinhança

“ O casal morará na circum adjacência da família da noiva.”

Não vai dar certo. Não existe a palavra “circum adjacência”. O prefixo circum exige hífen quando a segunda palavra começa com vogal, h, m ou n: circum-adjacência. O mesmo ocorre com o prefixo pan.

Frase correta: O casal morará na circum-adjacência da família da noiva.

Casa florida

“A irmã de Maria gosta de enfeitar a casa com copos de leite.”

Essas flores – “copos de leite” não existem. Os nomes de espécies botânicas e também da fauna têm hífen: copos-de-leite.

Frase correta: A irmã de Maria gosta de enfeitar a casa com copos-de-leite.

Inapetência

“A mãe do menino lhe deu um copo-de-leite, mas ele não tomou.”

Ele fez muito bem! Escrito com hífen é uma flor (copo-de-leite), a bebida indicada para o menino é sem os hifens: copo de leite. Locuções com mais de dois elementos não admitem o hífen quando seus similares forem no âmbito de espécies botânicas ou da fauna.

Período correto: A mãe do menino lhe deu um copo de leite, mas ele não tomou.

Orgulho justificado (I)

“O rapaz se diz muito honrado por ser afro-descendente.”

Concordo com ele, mas deveria fazer questão de grafar corretamente a palavra: afrodescendente.

Período correto: O rapaz se diz muito honrado por ser afrodescendente.

 Orgulho justificado (II)

“ A jovem se diz muito honrada por ser afroamericana.”

Já que tem tanto orgulho, deve aprender a escrever corretamente: afro-americana, com hífen.

Período correto: A jovem se diz muito honrada por ser afro-americana.

Send to Kindle
Arnaldo Niskier

Arnaldo Niskier

Arnaldo Niskier é acadêmico correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e ocupa a cadeira 18 da Academia Brasileira de Letras. Atualmente, é Presidente do Conselho de Administração do Centro de Integração Empresa-Escola do Rio de Janeiro – CIEE Rio. Foi apresentador do programa Frente a Frente na Rede Vida de Televisão.

Leia também

Ao pé da letra

Ao pé da letra #0

por

Começo de Conversa Esta é uma contribuição do SESI-SP ao esforço de valorização da língua portuguesa, hoje falada no mundo […]

Ao pé da letra

Ao pé da letra #10

por

ATAQUE À FOLIÃ “Laís pulou carnaval no interior e foi atacada pelas murissocas.” Não aproveitou e nem soube escrever o […]